04/09 - CUSTOS, VALORES E ORÇAMENTOS




Dicas do ilustrador Ricardo Antunes:

COMO SE CALCULA A HORA DE TRABALHO DE UM ILUSTRADOR?

Você deve pegar todas as suas despesas mensais para viver e somar tudo: conta de água, luz, telefone, gás, aluguel, despesa com automóvel ou transportes, celular, seguros, alimentação, etc. Vamos supor que deu 1000,00 reais.

Então pega-se em 1000 e divide-se por 22, que é o número de dias úteis por mês: 45,45 reais. Este seria o seu custo por dia.

Daí pega-se em 45,45 e divide-se por 8, que é o número de horas comerciais por dia: 5,68 reais. Este seria o seu custo por hora.

Mas este seria o seu custo para cobrir as despesas e ficar zerado. Portanto é preciso haver lucro para que haja investimento na profissão (compra de equipamentos, atualização de computador, cursos, etc), além do dinheiro como forma de seu próprio pagamento para vida pessoal. Em cima dos 5,68 deverá se acrescentar, no mínimo, 60%, o que dá 9,01 reais (60% é a média que qualquer comerciante coloca em cima dos custos). Este seria o seu custo MÍNIMO por hora (Obs: algumas profissões colocam até 200% em cima dos custos para ter lucro).

No sentido inverso, se o seu custo por hora é 9,01, multiplica-se por 8 (horas/dia): 72,08. Multiplica-se por 22 (dias/mês): 1.585,75. Esse é o valor mínimo que você precisa ganhar por mês para não ter prejuízo.

O custo mínimo varia de pessoa para pessoa, em função dos gastos pessoais. Mas é preciso acrescentar ainda nestas contas um mês de férias (tempo que irá ficar parado), portanto deverá ser repassado ao longo dos meses.

1.585,75 (mês) dividido por 11 (meses em atividade): 144,16 reais. Esse é o valor que deverá ser acrescentado em cada mês, prevendo as férias, ou seja, 1.585,75+144,16= 1.729,91 reais. Este é o valor final que você precisaria ganhar no mínimo por mês para pagar as contas, investir em equipamento e ter férias, como qualquer pessoa normal. Desse valor é preciso retroceder de novo até encontrar o valor por hora. Se quiser levar bem a sério estas contas, poderia acrescentar ainda o subsídio de Natal, que qualquer empregado ganha, seguro de saúde e aposentadoria.

Mas é sempre bom lembrar, esse é o MÍNIMO a se cobrar por hora, deste ponto em diante deve ser levado em consideração o prazo, a dificuldade, o volume de trabalho, a sua experiência profissional (e isso vale muito dinheiro), etc, e daí o valor da sua hora de trabalho pode ser mais cara, nunca mais barata.

IMPORTANTE: aquelas pessoas que ainda moram com os pais podem pensar que estarão em vantagem, pois não teriam despezas com água, luz, aluguel, etc, e se sentiriam mais competitivos com preços mais baixos. Isto é o mesmo que dar um tiro no pé. 

É que irá se criar um preço baixo artificial, pois as despesas do ilustrador existirão (ele gasta luz, ele consome água, ele dorme em um lugar), mas estarão sendo cobertas por outra pessoa. No dia em que ele querer ter independência e viver por conta própria, estes preços se tornarão tão inviáveis que acontecerá uma de 3 hipóteses: ou acabará por aumentar radicalmente os preços e perderá clientes, ou irá voltar vergonhosamente para a casa dos pais por não conseguir se manter sozinho, ou (o mais grave) simplesmente irá quebrar. 

Agora façam as contas e vejam se vocês cobram realmente direito...    :o)

Abs
Ricardo Antunes

www.ricardoantunesdesign.com
www.ilustrarmagazine.com
www.reference-press.com


Índice Referência de Valores SIB:


Tabela de Valores ADEGRAF:


Tabela do Sindicato dos Jornalistas no Estado de São Paulo:


Modelo Orçamento Guia do Ilustrador

Exemplo de planilha: Clique Aqui


EXERCÍCIO 0409: Prepare uma simulação de um orçamento para um cliente fictício. Enviar em formato pdf.

© Gil Caserta 2017